CESTE: COMUNICADO SOBRE SEGURANÇA DA BARRAGEM DA UHE ESTREITO

O Consórcio Estreito Energia – CESTE tem como valores prioritários a segurança da UHE Estreito, das pessoas e do meio ambiente e para tanto age visando atender a lei aplicável e os padrões de segurança estabelecidos. Desde a construção desta usina até a etapa de operação, sempre foram empregadas as melhores técnicas de engenharia, desde o seu projeto básico até os atuais planos de manutenção. São realizadas inspeções rotineiramente por técnicos especializados e inspeções anuais por equipe multidisciplinar de engenharia que analisa todos os dados coletados e elabora relatórios de inspeção e comportamento da barragem e das estruturas civis, visando atestar a estabilidade da mesma. Deve-se destacar a manutenção preventiva programada em todo o sistema de monitoramento da barragem, o Plano de Segurança de Barragens e o Plano de Ação de Emergência, elaborados de acordo com a Lei de Segurança de Barragem e as normativas da ANEEL.  Relacionado ao Plano de Segurança de Barragens e ao Plano de Ação de Emergência, também é feito o monitoramento das grandezas hidrológicas que envolvem o reservatório, em conjunto com as regras de operação das estruturas que compõem a UHE Estreito. Além de todas essas iniciativas, o CESTE ainda realiza regularmente treinamentos de segurança e de emergência com os seus colaboradores e prestadores de serviço. Ressaltamos, finalmente, a interação do CESTE e seus prepostos com os técnicos das Defesas Civis Estaduais e Municipais, das Agências Nacionais de Energia Elétrica (ANEEL) e Águas (ANA), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), entre outros, os quais tem acesso a inúmeras informações relacionadas à operação do empreendimento. Portanto, não há indícios, a partir dos levantamentos técnicos feitos e acima relacionados, sobre quaisquer questões que, neste momento, comprometam a segurança da barragem da UHE Estreito. Deve-se destacar que as obras executadas a jusante da UHE Estreito são referentes a simples manutenção de taludes, sem qualquer relação com questões que envolvam a segurança desta barragem. Para mais informações e quaisquer dúvidas ou sugestões relacionadas ao Consórcio Estreito Energia e a Usina Hidrelétrica Estreito disponibilizamos o telefone 0800-280-9191. Respeitando os seus Valores Organizacionais, o CESTE reafirma seus compromissos de agir com a ética, comunicar-se com transparência com a comunidade e respeitar as pessoas e o meio ambiente.

Slide1.PNG

#CARRETA CARREGADA DE BOVINOS TOMBA NA BR 230 EM CAROLINA/MA.

fb_img_1548957237570

Uma carreta que transportava bovinos tombou, na madrugada desta quinta-feira (31), na BR 230, no povoado Itapecurú municipio de Carolina/Ma. De acordo com informações, a carreta seguia sentido de Riachão, os animais ficaram soltos na pista.

Com o tombamento, parte do caminhão permaneceu na pista. O motorista do caminhão não ficou ferido.

Banco do Brasil permite pagamento de IPVA pelo WhatsApp

images28229

O Banco do Brasil vai permitir que seus clientes façam o pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e outras taxas cobradas pelo Detran, diretamente pelo WhatsApp. A transação passou a fazer parte do rol de serviços de atendimento a clientes do banco por meio do aplicativo de mensagens instantâneas.

Para efetuar o pagamento do IPVA e outras taxas, incluindo multas de trânsito, o cliente do banco deve informar o código do Renavam, a placa do veículo e o CPF do proprietário. A utilização do WhatsApp como um canal de atendimento do BB requer o cadastramento prévio do telefone do cliente em suas informações cadastrais registradas no banco.

A operação, por enquanto, só está disponível nos estados do Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Sul e no Distrito Federal. Nos demais estados, o uso do WhatsApp deverá estar disponível nos próximos meses, após a adequação de sistemas das secretarias de Fazenda com a tecnologia do banco, informou a assessoria da instituição.

O atendimento pelo Whatsapp foi lançado para todos os clientes em setembro de 2018, com opção para 14 transações. Em dezembro, o BB foi o primeiro banco a permitir saque pelo WhatsApp. Com mais essa solução, já são 16 transações que podem ser realizadas pelo aplicativo de mensagens, incluindo rastreio de cartão, consulta de limite, extrato, saldo e fatura do cartão, poupança e conta-corrente, além de recargas de celular e transferências entre contas.

O banco informou que, em menos de quatro meses, já foram realizadas mais de 100 mil transações (financeiras e consultas) pelos clientes via WhatsApp. Os saques e transferências realizados por meio do aplicativo são limitados até R$ 300.

Como funciona

A solução alia o uso da inteligência artificial, por meio de chatbot (uma máquina que conversa com o cliente), e as mensagens são criptografadas de ponta a ponta. Para acessar o Banco do Brasil no WhatsApp é necessário salvar o telefone [+55] 61 4004 0001 no celular e iniciar uma conversa. O aparelho e o número do cliente precisarão estar cadastrados previamente.

Quando um serviço de informações, como solicitar um extrato de conta-corrente, for solicitado pelo cliente, um código de confirmação será enviado pelo banco via push ou SMS. Para as outras transações, os clientes também deverão digitar sua senha. Depois, o cliente receberá uma resposta confirmando a transação, tudo em texto. Se houver necessidade de atendimento humano, o cliente passará a ser atendido por um funcionário do BB.

A tecnologia de assistência virtual vem sendo utilizada pelo BB desde 2017, utilizando inteligência cognitiva. Segundo o banco, o chatbot responde por meio de uma linguagem natural e aprende constantemente com base nas interações dos usuários. “Após o lançamento do seu Assistente Virtual, o Banco do Brasil aumentou 71% suas interações com os clientes via mídias sociais”, informou o BB.

Por Agência Brasil

Polícia Federal deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato

policia_federal_generica_1

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje(31) a 59ª fase da Operação Lava Jato. São cumpridos 15 mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária por 60 policiais federais, com o apoio de 16 auditores fiscais da Receita Federal, em São Paulo e Araçatuba (SP).

Há suspeitas de que o esquema criminoso foi possível devido a acordo entre os investigados, que responderão pela prática dos crimes de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Os presos e o material apreendido serão levados para a Superintendência da Policia Federal em Curitiba, no Paraná.

Buscas e detenções

Os mandados foram expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba, com base nos termos da colaboração premiada homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Os contratos suspeitos somam mais de R$ 682 milhões.

As investigações colheram indícios que apontam que empresas pagaram vantagens indevidas, de forma sistemática, a executivos da Transpetro. O esquema envolvia o pagamento de um percentual de propina, que alcançou o montante de até 3% do valor de 36 contratos formalizados com a estatal entre 2008 e 2014.

Valores

No período de 2008 a 2014, foram repassados milhões de reais a agentes políticos, segundo as investigações. Desse total, o colaborador teria recebido R$ 2 milhões por ano, a título de vantagem indevida, além de R$ 70 milhões no exterior.

Há indícios de que um escritório de advocacia foi utilizado para a movimentação de valores ilícitos e geração de dinheiro em espécie em favor das empresas do grupo investigado.

O sistema utilizado para a ocultação e dissimulação da vantagem indevida ocorreu mediante a utilização de contas de passagem e estruturação de transações financeiras (fracionamento). O objetivo era evitar comunicação de operações suspeitas ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Tocantinense morto no desastre de Brumadinho é velado em Filadélfia

FB_IMG_1548884910710.jpg

O corpo do mecânico tocantinense Wanderson Soares Mota, de 32 anos, que morreu no desastre de Brumadinho(MG), quando uma das barragens de contenção de dejetos da companhia Vale se rompeu na última sexta-feira, 25.

O Velório é na casa da família em Filadélfia, no norte do Tocantins. Caso comoveu moradores e rua ficou repleta de amigos e parentes na chegada do carro trazendo o corpo.

“O clima está pesado, é muita dor, muito sofrimento. A mulher dele está arrasada. Não tive nem coragem de ir ao local onde tudo aconteceu”, contou a irmã de Wanderson, Fátima Soares. Ela foi até Belo Horizonte para cuidar da documentação.

O enterro deve ser só na quinta-feira (31) pela manhã

_20190130_185445

Corrupção: 21 servidores federais foram expulsos no MA em 2018

Dados foram divulgados pela Controladoria-Geral da União (CGU). Outras cinco expulsões foram motivadas por abandono, inassiduidade ou acumulação.

images (3).jpeg

A Controladoria-Geral da União (CGU) divulgou um relatório informando que 28 servidores públicos federais foram expulsos em 2018 no Maranhão, sendo 21 por atos de corrupção. Outras 5 expulsões foram motivadas por abandono, inassiduidade ou acumulação e dois casos estão listados em ‘outros motivos’.

Em outra lista mais detalhada sobre as motivações para as expulsões, aparecem casos de:

  • Abandono do cargo
  • Usar o cargo para proveito pessoal
  • Falta ao serviço
  • Lesão aos cofres públicos
  • Acúmulo de funções

IMPERATRIZ – Por Recomendação do MPMA, Município não autoriza carnaval fora de época

_20190130_075819.JPG

Em atendimento a uma Recomendação do Ministério Público do Maranhão, o Município de Imperatriz decidiu nesta segunda-feira, 28, não autorizar a realização do 1º Imperafolia 2019 – carnaval fora de época – programado para o período de 15 a 17 de fevereiro, na Avenida Pedro Neiva de Santana.

A Recomendação foi encaminhada no dia 18 de janeiro para a Prefeitura de Imperatriz e Secretarias Municipais de Trânsito, de Planejamento Urbano e de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, com prazo de dez dias para que as instituições se manifestassem.

O documento ministerial foi assinado pelo promotor de justiça Albert Lages Mendes, que respondia pela 3ª Promotoria de Justiça do Meio Ambiente na data da expedição. O membro do MPMA observou que, diante da magnitude do evento, haverá restrições e limitações do direito de ir e vir, assim como o de propriedade dos moradores que residem na avenida.

“Haverá prejuízos à população que utiliza a via pública, já que se trata de uma área muito trafegável que dá acesso a vários municípios circunvizinhos, além da potencialidade de causar poluição sonora no local”, ressalta Albert Lages Mendes.

Ao se manifestar, a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) entregou ao titular da 3ª Promotoria de Justiça Especializada em Meio Ambiente, Jadilson Cirqueira, a decisão sobre indeferimento da licença ambiental para o evento, com pareceres técnicos e jurídicos fundamentados.

Nota do Município

Em nota pública, a Prefeitura de Imperatriz esclarece que a negação da licença tem por base a Recomendação do Ministério Público, mas também fatores como prejuízos financeiros e morais de comerciantes e clientes da região, tendo em vista que os organizadores do evento solicitaram a interdição total ou parcial da avenida, do trecho da Babaçulândia até a rotatória da Facimp, do dia 1º ao dia 25 de fevereiro.

Segundo a nota, tal solicitação obrigaria o Município a interditar mais de 5km de extensão de trânsito entre Imperatriz e João Lisboa, incluindo bairros que reúnem mais de 40% da população da cidade. No comunicado, a administração municipal sugere que o evento, de natureza comercial, seja realizado em um local privado.

Relatório Semarh

De acordo com o levantamento feito pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, o evento particular a ser realizado em via pública com cerca de 30 mil pessoas não possui os requisitos mínimos a serem observados, como a falta de estudo de impactos ambientais, a fragilidade de um plano de contingência, o local e a possível ação conjunta dos órgãos de segurança e municipais.

O relatório aponta que, caso ocorra, o evento trará danos ao paisagismo do canteiro central, onde há mais de dois anos a Prefeitura está fazendo manutenção periódica.

A Semmarh acrescenta que a empresa também não apresentou autorizações, licenças ou certificações de órgãos públicos de segurança ou municipais, tais como interdição de postos de combustíveis próximos ao evento, plano de resíduos sólidos acima de 90kg, de acordo com a Lei 1743/2018.