Carolina: Prefeitura não atualiza portal da Transparência. E a farra continua

A Justiça Maranhense  não cria mecanismos de punição aos infratores da Lei, sendo conivente com os desmandos e “desvios de todas as sortes” que ocorrem no município de Carolina-MA.

A enganação de portal regular é mantida enquanto há a necessidade de divulgarem nos portais dos tribunais que estão fazendo algo pela população e emitem os documentos necessários para conseguirem os recursos públicos.

O portal da TAL Transparência do Município de Carolina, NUNCA está de acordo com a Lei que estabelece obrigatoriedade de em tempo real serem publicados os gastos e receitas públicas.

O Ministério público do Maranhão com seus oficios e recomendações não consegue acompanhar a manobra aplicada pela atual gestão ou puní-la conforme diz a Lei. E a farra continua.

NÃO ENCONTRA-SE NEM RECEITAS E MUITO MENOS DESPESAS ENTRE 01 DE JANEIRO DE 2018 HÁ 31 DE JANEIRO DE 2018

fonte: http://carolina.ma.gov.br/receitas

carolina 9

GDIP – relatório de empenhos

 

portal.jpg

 

receitas 9.jpg

Receitas 2

Carolina: Incompetência faz resultado oficial de seletivo ser adiado

CHEIRA MAL….
comissão.jpg
 
PREFEITURA DE CAROLINA NÃO CONSEGUE CUMPRIR O QUE ELA MESMO DETERMINA…. A INCOMPETÊNCIA É PÚBLICA E NOTÓRIA…. ADIA O RESULTADO DE UM SELETIVO CHEIO DE SUSPEITAS…..
CRIA-SE UMA COMISSÃO INCAPAZ DE CUMPRIR O QUE ELA MESMA ORGANIZOU….
A Prefeitura Municipal de Carolina, por meio da Comissão do Processo Seletivo Simplificado torna pública: Prorrogação do prazo para a divulgação do Resultado Final do Processo Seletivo Simplificado, por 10 dias úteis, a contar desta data.

MARANHÃO: “Eu não sei porque fizeram isso. Eu estudei, fiz uma boa prova e tirei uma boa pontuação. Agora, nem inscrito eu estou? Que palhaçada é essa? Deram a minha vaga pra quem?”

#MAIS IRREGULARIDADES: “No concurso da PM, candidato fez a prova e consta como se nunca tivesse feito”, denuncia deputado Wellington (PP)

WEL.jpg

O deputado estadual progressista Wellington do Curso denunciou mais irregularidades no concurso da Polícia Militar do Maranhão. Os candidatos procuraram Wellington e mostraram provas que mostraram a desorganização do certame. Dessa vez, há até candidato que fez a prova e consta como se nunca tivesse sido inscrito.
Um exemplo é o candidato Gabriel Pereira de Oliveira, com número de inscrição nº101549-12, que realizou a prova da PM, mas ao acessar a página para conferir a pontuação consta como se nunca nem tivesse sido inscrito (fatos devidamente comprovados).

“Eu não sei porque fizeram isso. Eu estudei, fiz uma boa prova e tirei uma boa pontuação. Agora, nem inscrito eu estou? Que palhaçada é essa? Deram a minha vaga pra quem?”, desabafou Gabriel.

Sobre a questão, Wellington cobrou uma resposta imediata do Governo e solicitou que o Ministério Público desempenhe suas atribuições e aja diante de tantas irregularidades e arbitrariedades encontradas nesse concurso.

“Por que até agora nada foi feito? O Governador permanece calado e omisso. Agindo como se isso aqui fosse uma ditadura: o líder manda e os demais apenas obedecem. Governador Flávio Dino, a população maranhense não pode ser desrespeitada dessa forma. Irregularidades é o que não faltam nesse concurso. Deixo aqui o apelo de centenas de maranhenses. Não estão pedindo favor. Estão apenas querendo que o concurso seja encarado com a seriedade que é devida”, disse o professor e deputado Wellington.

IMPERATRIZ | Vara da Infância disciplina participação de crianças em eventos carnavalescos

images

A Vara da Infância e da Juventude de Imperatriz iniciou os trabalhos de prevenção e orientação sobre a participação de crianças e adolescentes em eventos de carnaval. A Vara publicou a Portaria N° 01/2018, que disciplina a presença de crianças e adolescentes nas festividades de Carnaval das cidades de Imperatriz, Governador Edison Lobão, Vila Nova dos Martírios e Davinópolis, que compõem a comarca. A Portaria proíbe a presença de crianças (até doze anos incompletos) desacompanhadas dos pais ou responsáveis em festas, bailes, blocos, escolas de samba e qualquer outra aglomeração do tipo, durante todo o período carnavalesco, inclusive as prévias.

O comissariado de Justiça da unidade realizou reunião com a Secretaria de Cultura, no termo judiciário de Governador Edison Lobão. Na pauta, o trabalho de fiscalização a ser feito pela Vara da Infância e da Juventude de Imperatriz. Na reunião, estiveram presentes os comissários de justiça, conselheiros tutelares, vendedores ambulantes e representantes do Município.

Os comissários destacaram a importância de prevenir o consumo de bebidas alcoólicas por menores de idade, ressaltando que o artigo 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente pune com pena de detenção de 2 a 4 anos, além de multa, aqueles que venderem bebida alcoólica para menores de idade. Na oportunidade, foi enfatizado sobre a necessidade de os adolescentes portarem documento de identidade, os quais deverão ser exigidos pelos vendedores ambulantes. Os vendedores receberam o texto legal da tipificação do crime para que seja colado nas caixas de isopor durante todos os eventos carnavalescos na cidade.

IMPERATRIZ – No termo sede da comarca, a reunião aconteceu na Fundação Cultural, e abordou a fiscalização do Carnaval. Participaram os representantes do município, entre os quais o presidente da Fundação Cultural, José Carneiro Santos, além de representante da Polícia Militar e os comissários de Justiça.

A fiscalização será feita pelos comissários efetivos e por um grupo de vinte e cinco comissários, e ocorrerá durante os quatro dias de carnaval na cidade de Imperatriz e nos termos judiciários.
O principal é objetivo da fiscalização de carnaval é coibir a venda de bebida alcoólica para menores de idade. A Vara está sob responsabilidade do juiz Genivaldo Pereira Silva, titular da 1a Vara de Família de Imperatriz, mas o titular é o magistrado Delvan Tavares.

MULTA – Em um de seus artigos, a portaria ressalta que o descumprimento da proibição da venda de bebidas alcoólicas ou outras substâncias que causem dependência química a crianças e adolescentes implica em multa que varia de R$ 3.000,00 (três mil) a R$ 10.000,00 (dez mil reais), além da interdição do estabelecimento até que a multa seja paga.

“Vender, servir, oferecer, ministrar, e ou entregar, ainda que gratuitamente a crianças e adolescentes bebidas ou substâncias que possam causar dependência química ou psíquica ocasiona em pena de detenção de 2 a 4 anos e multa, sujeitando o infrator à prisão em flagrante, conforme artigo 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente”, destaca a portaria, ressaltando que o aviso de proibição, bem como a pena a ser imposta, deverá estar em local visível no estabelecimento.

Abaixo, em Arquivos Publicados, a portaria na íntegra da Vara da Infância e da Juventude de Imperatriz.
Michael Mesquita
Assessoria de Comunicação
Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão

Imperatriz: Senarc/ITZ cumprem mandados de prisão de dois homens acusados de tráfico de droga

Net_Ze_Gato_e_Luis_Carlos_20180131
Luís Felipe e Luís Carlos já se encontram à disposição da Justiça

Policiais civis, da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico-SENARC, núcleo de Imperatriz, sob o comando do delegado Fabian Klein, deu cumprimento, na manhã dessa terça-feira (30), a dois mandados de prisão em desfavor de dois homens acusados de tráfico.

Os acusados presos foram identificados por Luís Felipe Sousa da Costa, vulgo “Zé Gato”. Luís Felipe estava foragido desde 2016, ocasião em que foi feita uma operação pelo SENARC/ITZ contra o tráfico de droga na segunda maior cidade do Maranhão.
‘Zé Gato’, segundo a polícia, fazia parte de uma organização criminosa voltada para o tráfico de cocaína em Imperatriz e quando da operação, várias pessoas ligadas a ele foram presas, sendo que ele conseguiu furar o cerco policial e fugir.
O outro acusado que teve mandado de prisão em seu desfavor cumprido foi identificado por Luís Carlos Escórcio da Silva. Ele, inclusive, já está com sentença condenatória acusado de tráfico, fato ocorrido em 2005.
Os dois, depois de terem sido ouvidos pelo delegado Fabian Klein, passaram por exames de corpo de delito no Instituto Médico Legal e, em seguida, levados para presídios diferentes.
Luís Felipe foi conduzido para a Unidade Prisional de Imperatriz-UPRI, enquanto Luís Carlos, por já estar condenado, foi levado para o Presídio do Itamar Guará.

Candidata no concurso da PM/MA morre durante realização de teste (TAF)

candidata-concurso-pm-morre-taf.jpg

Candidata do Concurso da Polícia Militar do Maranhão (PMMA) morreu nesta terça-feira, 30, durante a realização do Teste de Aptidão Física (TAF), de responsabilidade do Cespe. Daniele Nunes Silva sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) enquanto era submetida às provas práticas no Núcleo de Esportes da Universidade Federal do Maranhão. Após passar mal, a prestadora de serviços da Delegacia de Barra do Corda e estudante de Ciências Biológicas foi socorrida na pista de atletismo, local da realização do teste de corrida aeróbica, e levada à UPA do Bacanga, mas não resistiu e veio à óbito.

De acordo com o Delegado Renilton Ferreira, de Barra do Corda, a colega de trabalho já
vinha prestando concursos, entre eles, da Polícia Militar do Piauí no ano passado.“Era muito estudiosa, dedicada, disciplinada com os estudos e queria passar no concurso,ter estabilidade. Ela vinha lutando pra isso”, conta o Delegado. Sobre o concurso da PMMA,Renilton explica que Daniele estava muito feliz com a aprovação na fase teórica, e a preparação para o TAF era voraz.“Não foi aquele concurso que ela fez porque abriram as inscrições, e aí resolveu prestar. Ela fez algo consciente, do qual ela estava se preparando, já de longa data”, arma.
Os Testes de Aptidão Física do concurso tiveram início no último sábado, dia 27, e seguem até o próximo domingo, 4. Para realizar as provas, de acordo com o edital publicado pelo Cespe, instituição responsável pelo certame, o candidato deve possuir um atestado médico específico, emitido há pelo menos 30 dias – caso não haja a comprovação, o concorrente é automaticamente eliminado.
Os candidatos são submetidos, durante o TAF, a quatro atividades: flexão, meio sugado, abdominal remador e corrida aeróbica – os três primeiros com duração de um minuto cada. No caso da corrida, as candidatas do sexo feminino devem percorrer 1.700 metros em no mínimo 12 minutos.

Com informações Oimparcial