#Pesquisa aponta vitória de Flávio Dino com 57,8% dos votos contra 23,1% de Lobão Filho

download

A nova rodada da pesquisa DataM contratada pelo jornal Atos e Fatos revelou que Flávio Dino (PCdoB) mantém a dianteira na disputa pelo Governo do Maranhão. A pouco mais de um mês para o dia das eleições, o oposicionista possui 57,8% das intenções de voto dos maranhenses contra 23,1% do segundo colocado, Lobão Filho (PMDB).

A pesquisa foi realizada após a primeira semana do horário eleitoral gratuito, em que se pode identificar a preferência do eleitorado em relação ao período mais quente da campanha. A distância que separa Flávio Dino do segundo colocado é de 34 pontos de diferença. Em terceiro lugar aparece Zé Luis Lago (PPL) com 1%, Professor Josivaldo (PCB) com 0,9%, Luís Pedrosa (PSOL) tem 0,4% e Saulo Arcangeli (PSTU) teve 0,3%. Brancos e nulos somam hoje 10,2% dos eleitores e não sabem ou não responderam, 6,4%.

Dino também lidera o voto espontâneo (quando o eleitor não é apresentado ao nome dos candidatos). Neste quesito, Dino possui 41,8% das intenções de voto e Lobão Filho possui 14,9%.

Já em uma disputa direta entre Flávio Dino em Lobão Filho, em um eventual segundo turno, 62% dos maranhenses afirmam que votariam em Flávio Dino contra 24,1% dos que afirmam que votariam em Lobão Filho. Neste cenário, brancos e nulos somam 8,7% e não sabem ou não responderam, 5,2%.

Rejeição

A pesquisa apurou também a rejeição do eleitorado em relação aos candidatos que disputam o comando do Palácio dos Leões a partir de 1º de janeiro de 2015. Confrontados com a pergunta “em quem não votaria de jeito nenhum”, 44% dos eleitores informaram rejeitar Lobão Filho, enquanto 12,8% disseram não votariam em Flávio Dino. 8,3% não votariam em Luís Pedrosa, 3,8% em Zé Luís Lago, 3,4% em Professor Josival e 2,4% em Saulo Arcangeli.

2,5% disseram que poderiam votar em todos e 7% disseram que não votariam em nenhum. Não sabem quem rejeitam ou não responderam à questão 15,9%.

A pesquisa DataM foi a campo entre os dias 21 e 24 de agosto e entrevistou 1.400 pessoas de todas as regiões do Maranhão. A pesquisa tem margem de erro de 3% para mais ou para menos e está registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo 037/2014.

Senado

O candidato da oposição apoiado por Flávio Dino, Roberto Rocha (PSB), também está na dianteira nas pesquisas de intenção de voto. Rocha tem 29% das intenções de votos contra 20% de Gastão Vieira. Haroldo Sabóia, do PSOL, tem 5,6%; Marcos Silva (PSTU) tem 4%. Brancos e nulos somam 24%.

No índice de rejeição também é o candidato da família Sarney, Gastão Vieira, que lidera com 17%. Ele é seguido por Saboia, com 11% e Rocha, com 9%.

 

Anúncios

#TRANSPORTE ESCOLAR: IRREGULARIDADES EM CAROLINA PODE SER ALVO DE AÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO

1519e954ae6bd629544356cae3e51766_XL

 

Ministério Público não terá problema ou dificuldade para encontrar irregularidades nos contratos em Carolina

 

Uma semana após a convocação do empresário Emival Milhomens, proprietário da Armil Empreendimentos – vencedora da licitação para realizar o transporte escolar no município de Carolina –, pela Câmara Municipal de Carolina, o Ministério Público do Maranhão, na quinta-feira, dia 28, divulgou os resultados preliminares da Operação “Dia T – Pau de Arara”, uma parceria com a Controladoria Geral da União (CGU), na qual foi realizada auditoria no transporte escolar de cinco municípios do Maranhão: Cachoeira Grande, Lago da Pedra, São João do Sóter, Miranda do Norte e Presidente Vargas. Carolina não foi alvo da operação do MP/CGU, apesar de ter graves problemas no transporte de alunos da rede de ensino do município, causados por contratos assinados para, pura e simplesmente, beneficiar amizade pessoal do prefeito Ubiratan Jucá (PMDB). A convocação de Emival Milhomens foi assinada pelo presidente em exercício do Legislativo local Reginaldo Ferreira Dias (PSDB) no último dia 22.

A fiscalização realizada por promotores de Justiça e auditores da CGU tem avaliado as condições de segurança dos veículos, a qualidade do serviço, o cumprimento das rotas e também as despesas executadas com a prestação do transporte escolar. Para investigar a situação do transporte escolar, foram ouvidos alunos, motoristas, representantes das empresas contratadas, além da inspeção dos veículos, documentos e contratos de licitação.

Em relação à segurança dos estudantes, foram detectados veículos e motoristas sem documentação e automóveis deteriorados. Também foram descobertos vícios nos processos de licitação, empresas de fachada, sem veículos próprios ou com veículos irregulares, sublocação integral dos contratos, superfaturamento e abastecimento dos veículos pelas próprias prefeituras, mesmo quando o contrato prevê essa obrigação para as empresas.  “Há casos, ainda, de empresas contratadas que não prestam o serviço, deixando as crianças sem acesso às escolas”, afirma o chefe da CGU no Maranhão, Francisco Alves Moreira.

CORRUPÇÃO– O transporte escolar no município de Carolina é realizado pela empresa Armil Empreendimentos – criada no dia 27 de novembro de 2012 – que já nasceu como vencedora da licitação do serviço de transporte de alunos da rede municipal de Educação – realizada somente em fevereiro de 2013. O proprietário da Armil é Emival Milhomens – amigo pessoal do prefeito Ubiratan Jucá e doador da campanha eleitoral de 2012.

A Armil Empreendimento não tem ainda qualquer qualificação para a realização do transporte escolar, sendo, inclusive, alvo de ações judiciais promovidas pela Defensoria Pública do Maranhão em Carolina por não conseguir realizar o mínimo exigido pela legislação.

Contudo, o empresário Emival Milhomens já faturou R$ 5.230.533,20 – cinco milhões, duzentos e trinta mil, quinhentos e trinta e três reais e vinte centavos –  em dois contratos assinados com a Prefeitura de Carolina. O primeiro em 20 de fevereiro de 2013, no valor de R$ 1.800.000,00 com dois aditivos: R$ 449.863,20, de 01/04/2013, e R$ 573.300,00, de 26/12/2013. O segundo contrato no valor de R$ 2.407,370,00, de 26 de maio de 2014.

O Ministério Público do Maranhão, caso venha a investigar o transporte escolar em Carolina, não terá qualquer problema ou dificuldade para encontrar irregularidades nos contratos da ineficiente Armil em Carolina – alvo das maiores reclamações de alunos e pais de alunos da rede municipal de Educação.

Vereadores de Carolina pretendem encaminhar o Ministério Público o resultado da avaliação que será realizada após a sabatina no próximo dia 05 de setembro.

 

Com informações do Ministério Público do Maranhão (MP/MA) e do Diário Oficial do Estado do Maranhão (DOEMA)

# Edinho Lobão não honra acordo e Filuca cancela comício em Pinheiro

images (2) cópia

Blogueiros, jornais emissoras de radio e TV espalharam na sexta-feira (29), que foi um sucesso o comício em Pinheiro do candidato ao governo Edinho Lobão.

A assessoria de imprensa do candidato noticiou que estava no mesmo ato político além de Edinho, Gastão Vieira, candidato a senador, o preferido Filuca Mendes e o filho deputado estadual Vitor Mendes (PV) e lideranças comunitárias.

O peemedebista realmente esteve na baixada maranhese, mas em Pinheiro ele não teve coragem de passar. Preferiu passar direto à cidade de Santa Helena. E com razão.

Acontece que o prefeito de Pinheiro, Filuca Mendes, vive hoje revoltado com a governadora Roseana Sarney (PMDB), o secretário Ricardo Murad, deputado federal Sarney Filho e principalmente com Edinho Lobão.

Prova disso é que na inauguração do comitê de Vitor Mendes e do deputado estadual Max Barros não teve a propaganda do candidato da oligarquia Sarney.

Se depender de Filuca Mendes, o candidato do PMDB pode até fazer um comício em Pinheiro, mas em um campo alagado e discursar para os búfalos.

 

*Neto Ferreira

#Deputados, prefeitos e vereadores pulam para o barco de Flávio Dino

MARCA-FINAL_FD4

O ex-prefeito de Coroatá, Luis Amovelar, foi o primeiro a pular fora e levou consigo lideranças expressivas e vereadores.

Aconteceu o que todos estavam prevendo: o Palácio dos Leões não moveu e nem moverá uma palha para eleger seu candidato a governador, Edinho Lobão (PMDB).

Desde o início da segunda quinzena deste mês, o peemedebista vem sofrendo baixas, sem contar as lideranças que ainda persistem em apoiá-lo, estão de braços cruzados.

Nesta ultima semana, diversas lideranças estão comunicando oficialmente o desligamento da campanha do filho do ministro de Minas e Energia.

O ex-prefeito de Coroatá, Luis Amovelar, foi o primeiro a pular fora e levou consigo lideranças expressivas e vereadores.

Bem próximo de Coroatá no município de Peritoró, o Padre Josias anunciou o apoio ao candidato Flávio Dino. Ele desistiu de apoiar Edinho devido os acordos que não foram compridos. Em Santa Luzia do Tide, o ex-prefeito Zemar Dutra, também pulou de barco sem nenhum esforço.

O presidente estadual do PLS e vereador de São Luís, Francisco Carvalho , cansou de ser enganado e também vai apoiar Flávio Dino.

O prefeito Filuca Mendes e o filho deputado Vitor Mendes, não querem acordo com o candidato do PMDB. Ontem, Edinho Lobão teve que suspender o comício na cidade de Pinheiro.

Na Assembléia, o pula-pula iniciou pela deputada Francisca Primo e se estendeu com Edison Araújo que anuncia neste domingo o apoio ao comunista. Alem disso, comenta-se também da adesão do deputado Cesar Pires que sonha em ser presidente do Poder Legislativo.

Os deputados Marcos Caldas e Helio Siares já não pedem mais votos para o peemedebista. Estão procurando salvar a próprios pele, a exemplo do deputado Stênio Rezende que faz campanha com seu sobrinho Juscelino Filho, candidato a deputado federal, na maioria dos municípios colado na propaganda de Flávio Dino. Rogério Cafeteira, Zé Carlos da Caixa e Carlinhos Florencio espalharam diversos cartazes tendo como candidato a governador o número 65.

O Ibope começa nesta semana a fazer uma pesquisa no Maranhão e com um possível resultado idêntico ao do institui Escutec (reveja), pode abrir as porteiras porque ninguém vai segurar a debandada geral do candidato que se mostra vitorioso.

Aconteceu o que todos estavam prevendo: o Palácio dos Leões não moveu e nem moverá uma palha para eleger seu candidato a governador, Edinho Lobão (PMDB).

Desde o início da segunda quinzena deste mês, o peemedebista vem sofrendo baixas, sem contar as lideranças que ainda persistem em apoiá-lo, estão de braços cruzados.

Nesta ultima semana, diversas lideranças estão comunicando oficialmente o desligamento da campanha do filho do ministro de Minas e Energia.

O ex-prefeito de Coroatá, Luis Amovelar, foi o primeiro a pular fora e levou consigo lideranças expressivas e vereadores.

Bem próximo de Coroatá no município de Peritoró, o Padre Josias anunciou o apoio ao candidato Flávio Dino. Ele desistiu de apoiar Edinho devido os acordos que não foram compridos. Em Santa Luzia do Tide, o ex-prefeito Zemar Dutra, também pulou de barco sem nenhum esforço.

O presidente estadual do PLS e vereador de São Luís, Francisco Carvalho , cansou de ser enganado e também vai apoiar Flávio Dino.

O prefeito Filuca Mendes e o filho deputado Vitor Mendes, não querem acordo com o candidato do PMDB. Ontem, Edinho Lobão teve que suspender o comício na cidade de Pinheiro.

Na Assembléia, o pula-pula iniciou pela deputada Francisca Primo e se estendeu com Edison Araújo que anuncia neste domingo o apoio ao comunista. Alem disso, comenta-se também da adesão do deputado Cesar Pires que sonha em ser presidente do Poder Legislativo.

Os deputados Marcos Caldas e Helio Siares já não pedem mais votos para o peemedebista. Estão procurando salvar a próprios pele, a exemplo do deputado Stênio Rezende que faz campanha com seu sobrinho Juscelino Filho, candidato a deputado federal, na maioria dos municípios colado na propaganda de Flávio Dino. Rogério Cafeteira, Zé Carlos da Caixa e Carlinhos Florencio espalharam diversos cartazes tendo como candidato a governador o número 65.

O Ibope começa nesta semana a fazer uma pesquisa no Maranhão e com um possível resultado idêntico ao do institui Escutec , pode abrir as porteiras porque ninguém vai segurar a debandada geral do candidato que se mostra vitorioso.

 

* informações de Neto Ferreira

# TSE anula decisão do TRE-MA e candidatura de Sarney Filho volta a ser ameaçada

sarney-filho-2-550x388

A situação do deputado federal Sarney Filho (PV) voltou a se complicar com a decisão do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Henrique Neves, que anulou a decisão do TRE-MA em permitir a participação do seu partido na coligação do candidato edinho Lobão (PMDB).

A participação do PV na coligação sarneysista foi questionada na Justiça pelo candidato a deputado federal Márcio Jardim (PT) diante da confusão do PV ao registrar sua ata no TRE-MA, sem especificar a sua participação na coligação majoritária, com o lançamento da candidatura de Washington Rio Branco ao Senado.

De acordo com essa ata, o PV seria obrigado a disputar as eleições sozinho sem compor aliança com nenhum outro partido, o que praticamente torna impossível a reeleição de Sarney Filho por falta de quociente eleitoral.

O ministro afirmou que o Tribunal maranhense, ao alegar que a questão das coligações é interna dos partidos e por isso não caberia a impugnação de um candidato de outra legenda, deixou de analisar o que realmente importa: a ilegalidade da mudança de ata do PV. Assim, “a Corte de origem deixou de se manifestar sobre fato relevante para a solução da controvérsia”. Assim, “a norma constitucional de garantia do devido processo legal fica reduzida a uma encenação sem propósito e sem finalidade”.

Deste modo, o ministro enviou o processo de volta ao TRE para que a corte analise a irregularidade da mudança da ata do PV e, a partir daí, julgar a coligação.

O partido registrou apenas as candidaturas de Sarney Filho, Victor Mendes e Washington Rio Branco. Sem nenhuma mulher candidata, o PV não estaria cumprindo a cota de gênero (art. 10, §3º, da Lei 9.504/97), o que é um outro problema que pode até retirar o PV da disputa eleitoral de 2014.

 

(Com informações do blog do Clodoaldo Corrêa)

 

# AÇÃO DE DESPEJO CONTRA LOBÃO FILHO (PMDB)

Comitê-central-da-coligação-‘Pra-Frente-Maranhão’-está-ameaçada-de-despejo

A aposentada Lenita Lago Bello, proprietária do imóvel onde funciona o principal comitê do candidato a governador do Maranhão, Lobão Filho, no Parque Atlântico, área do Olho D´Água, moveu uma ação de despejo na 16ª Vara Cível de São Luís contra a imobiliária Cantanhede & Cantanhede Ltda.
Lenita Bello solicita a devolução do imóvel, que, segundo ela, está sendo cedido à campanha eleitoral do peemedebista de forma irregular. O pedido, que foi feito à Justiça no dia 19 de agosto, inclui, também, pagamento do valor de mensalidades correspondentes ao uso da casa.

Localizado na Rua Albatrozes, 05, Parque Atlântico, o comitê de Lobão Filho foi inaugurado nos primeiros dias de campanha. No entanto, a proprietária afirma na ação que a utilização do imóvel para a campanha fere o contrato feito entre ela e a imobiliária.

Antes de ser cedida à campanha de Lobão Filho, a casa foi alugada por três anos à imobiliária Cantanhede & Cantanhede. O contrato venceu em 4 de julho de 2014 e a proprietária afirmou não ter interesse em renovar o aluguel.

Segundo Lenita, ao pedir as chaves do imóvel aos empresários Valter e Wemerson Cantanhede, estes não as repassaram. Dias depois, ela foi informada de que o imóvel seria usado na campanha do PMDB.

A proprietária disse que procurou a coordenação da campanha de Lobão Filho para reaver a posse do imóvel, mas foi informada de que nele já estava sendo montada toda a estrutura de campanha do candidato apoiado pelo governo, e que teve a informação de que a casa teria sido doada pela imobiliária à campanha. Ela informou à Justiça não ter nenhum contrato vigente com a empresa ou com a campanha de Lobão Filho.

“Isso é uma invasão. A casa está um pardieiro. Está lá, com o comitê, mas invadiram, porque não cedi o imóvel nem para a empresa nem para a campanha”, disse Lenita.
Além do pedido de despejo, Lenita Belo pede o ressarcimento dos débitos anteriores, que somam R$ 52.372,58.

A ‘doação’ do comitê não está registrada na primeira parcial da prestação de contas apresentada pela coligação de Lobão Filho à Justiça Eleitoral, disponível para consulta no site do Tribunal Regional Eleitoral.

Além destes pedidos, Lenita afirma que a empresa que alugou seu imóvel por três anos deixou de pagar o IPTU à Prefeitura de São Luís. O débito com o imposto municipal, segundo a proprietária, é de R$ 22.373,00.

# PF INVESTIGA 23 MUNICIPIOS NO MARANHÃO

IMG_19800105_232853

                                      TRANSPORTE ESCOLAR EM CAROLINA-MA ‘pau de arara’

Operação “Dia T – Pau de Arara” 

irregularidades no transporte escolar

A Polícia Federal investiga 23 prefeituras maranhenses, que mantém contratos irregulares com prestação de serviço de transporte escolar.

A investigação é em conjunto com o Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal, Ministério Público de Contas e a Controladoria Geral da União (CGU).

A Operação “Dia T – Pau de Arara”, iniciada na última segunda-feira, 25, vem realizando auditoria nos municípios do Estado.

O delegado federal de combate ao crime organizado, Fabrizio Garbi, disse que o desvio não envolve uma rede de criminosos. “Não podemos detalhar investigações em curso, mas há indícios de uma organização para desviar tais recursos”.

A operação concluiu, até o momento, o inquérito em apenas cinco municípios. Entre eles, Cachoeira Grande e São João do Sóter. Foram investigados contratos de 2013 a 2014, na ordem de um total de R$ 9.002.939,62 milhões.

Segundo a promotora de justiça e coordenadora do Centro de Apoio Operacional (CAOp) da Educação do MPMA, Sandra Soares de Pontes, a articulação entre as instituições e órgãos de fiscalização fortalece o combate à corrupção. “As informações obtidas na auditoria vão embasar os inquéritos civis e as futuras ações por improbidade administrativa contra gestores e demais fraudadores dos recursos públicos destinados à educação”, destaca.

Em relação à segurança dos estudantes, foram detectados veículos e motoristas sem documentação e automóveis deteriorados. Também foram descobertos vícios nos processos de licitação, empresas de fachada, sem veículos próprios ou com veículos irregulares, sublocação integral dos contratos, superfaturamento e abastecimento dos veículos pelas próprias prefeituras, mesmo quando o contrato prevê essa obrigação para as empresas.  “Há casos, ainda, de empresas contratadas que não prestam o serviço, deixando as crianças sem acesso às escolas”, afirma o chefe da CGU no Maranhão, Francisco Alves Moreira.

A procuradora-chefe da Procuradoria da República no Maranhão, Carolina da Hora, enfatizou que foram constatadas uma série de ilegalidades, classificadas por ela de “condutas duvidosas”. “Um exemplo é quando o gestor municipal resolve licitar o serviço de transporte escolar. O gasto com a locação é maior do que a compra de veículos novos”.

images