Palocci é preso em nova fase da Lava Jato

images (12).jpg

A Polícia Federal deflagrou a Operação Omertà, 35ª fase da Lava Jato nesta segunda-feira, 26. O ex-ministro Antonio Palocci foi preso temporariamente. A Receita Federal dá apoio à ação. As equipes policiais estão cumprindo 45 ordens judiciais, sendo 27 mandados de busca e apreensão, 3 mandados de prisão temporária e 15 mandados de condução coercitiva.

MUITO DINHEIRO FALSO EM CAROLINA-MA

Comerciantes e funcionários de diversas empresas na cidade de Carolina estão apreensivos. O motivo é a enxurrada de notas de dinheiro falso circulando na cidade. Supermercado no Bairro Nova Carolina, lojas de peças no Centro, bares e lanchonetes, mesmos com equipamentos para verificação das notas, estão sendo surpreendidos com a grande quantidade de dinheiro falso em circulação. A última vítima foi o proprietário de um bar na Avenida Elias Barros, no centro, na manhã deste sábado dia 24.

14409573_1213034332096783_1571765551036482226_o.jpg

14424908_647687422072082_5697052292752125519_o.jpg

5 pessoas presas no inicio da operação Brasil Central Mais Seguro em Carolina (MA)

Operação Brasil Central Mais seguro, um consórcio entre diversos estados com enfoque principal no combate e prevenção aos crimes interestadual de tráfico de drogas, furto/roubo de veículos e cargas.

_20160924_125758.JPG

Em Carolina (MA) a operação tem o comando do Delegado Regional de Balsas, Dr. Fagno Vieira, que coordena as ações conjuntas de policiais civis e militares que início ás 6:00 h da manhã desta sexta-feira (23) e vai prosseguir até a meia noite.

Logo nas primeiras horas foram presas, 4 pessoas, 2 homens e 2 mulheres, identificados por Cleandson Furtado Gonçalves, 18 anos, Daniel Cortez Gomes, 24 anos, Marinalva de Jesus Furtado Gonçalves, 50 anos e Maria Aparecida Carvalho Noronha, 19 anos, autuados por crime de tráfico de drogas com eles foram apreendidos 62 pedras de crack e porções de maconha.

Em cumprimento a um mando de prisão e busca e apreensão foi aprendido grande quantidade de muniçõesem um comércio e o comerciante identificado por Deusimar Oliveira, foi conduzido à delegacia onde foi autuado no art. 17 da lei 10826/03, por crime de comércio ilegal de munições.

“Empreendemos cumprimento a 6 mandos de busca e apreensão, vamos dá cumprimento a mandatos de prisão preventiva. Vamos continuar até a meia noite de sexta-feira (23) fazendo barreiras em toda a região e fazer incursões até alguns povoados na zona rural onde se tem notícias da possível presença de veículos roubados, motos e carros roubados”, explicou Dr. Fagno via Whatsapp.

Durante a operação estão sendo realizadas blitz e barreiras com revista em veículos nas rodovias e na travessia da Balsa de Filadélfia (TO) a Carolina (MA). Via identificada pelo Serviço de Inteligência da Polícia como sendo rota de tráfico e transporte de drogas, armas, veículos e cargas roubadas.

No Maranhão foram eleitas as cidades de Imperatriz, Estreito e Carolina para a realização da operação que ocorre simultaneamente nos estados que integram o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Tocantins, Minas Gerais e Distrito Federal.

Até o termino da operação outras prisões poderão acontecer e veículos serem recuperados.

(Suspeitos por tráfico de drogas, presos durante a operação Brasil Central Mais Seguro)

Por Diario Balsas

O que diz a maturidade de um HOMEM

Sobre a grande polêmica criada com um infeliz discurso de um “EDUCADOR”, candidato a vice Prefeito, que ofende as pessoas, ao passado, a intelectualidade e aos homens que construíram Carolina.

 Na noite de ontem recebemos esse texto dando conta de ter sido escrito por um verdadeiro Educador.

_20160923_151343

Colocado na integra para uma reflexão.

Aqui ponto chega a falta de respeito ao ser humano, o pior de tudo partindo de um “Educador” que sabe das consequências de duas doenças crônicas que não devemos desejar ao nosso pior inimigo, muito menos fazendo uma comparação esdrúxula e inconsequente ,tipico de quem esquece o caminho nobre da politica para ferir moralmente dois grupos que ao longo da história de nossa cidade ajudaram a construir o seu presente e futuro,se bom ou ruim ,faz parte da natureza humana errar e acertar ! Agora,não se chega ao poder carregado de ódio e preconceitos absurdos tentando apagar a história de uma cidade que hoje floresce ao esplendor de sua cultura e beleza naturais! Como esquecer a contribuição de tantos prefeitos ligados ao passado que carregaram as primeiras “pedras” para a construção de uma Carolina melhor,será que é justo ou desumano apagar os seus Historiadores? Comparação absolutamente própria de quem não sabe o que fazer politica e muito menos ser UM VERDADEIRO POLÍTICO!”

José Alves

Governo inaugura e reestrutura serviços do Procon/MA e do VIVA em Carolina-MA

Inaugurada nesta quinta-feira (22), dentro da unidade do Viva Cidadão no município de Carolina-MA, a 4ª unidade do órgão de defesa do consumidor na Região Sul do Maranhão, localizada na Av. Getúlio Vargas, Centro.

DSCN2096.JPG

O presidente do Procon e diretor-geral do Viva, Duarte Júnior, também entregou a unidade do Viva reformada para melhor atender o cidadão e oferecer melhores condições de trabalho. Dentre as mudanças estão nova pintura em todos os ambientes e também na parte externa; limpeza e manutenção das instalações hidrossanitárias; revisão do sistema de iluminação das redes elétrica, lógica e telefônica, com troca e reposição de utensílios; e ainda instalação de novas fachadas para facilitar a identificação do órgão, além de rampas de acesso para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

Após, o gestor do Procon/MA e do VIVA, Duarte Júnior, reuniu os empresários, empreendedores e lojistas locais na Câmara Municipal e apresentou aos fornecedores noções básicas de direito do consumidor, a fim de tirar dúvidas e manter um canal de diálogo aberto também com os fornecedores de Carolina.

Siderúrgicas brasileiras tentam barrar usina chinesa no Maranhão

Em meio à maior crise de sua história, o setor siderúrgico nacional se articula para barrar a instalação de uma fábrica da empresa chinesa CBSteel na cidade de Bacabeira, no Maranhão. A preocupação setorial já foi levada ao governo local e a Brasília. A projeção do Instituto Aço Brasil, que representa o setor, é encerrar 2016 com uma produção nacional de aço 6,8% menor e o consumo aparente, que reúne produtos nacionais e importados, encolhendo 14,4%, para o patamar de dez anos atrás.

size_810_16_9_siderurgica-da-us-steel.JPG

O protocolo de intenções da CBSteel com o governo maranhense foi assinado no ano passado e o interesse no projeto reafirmado durante a visita do presidente Michel Temer à China para a reunião do G-20, no início do mês. O investimento é estimado em US$ 3,5 bilhões na primeira fase, para atingir uma capacidade de produção anual de 3 milhões de toneladas.

Em uma segunda etapa, a capacidade seria ampliada a 10 milhões de toneladas anuais – 20% da capacidade instalada do setor no País –, com aporte de US$ 4,5 bilhões. O dinheiro virá do Fundo de Desenvolvimento da China.

Na última semana, o Aço Brasil enviou comunicado à China Iron and Steel Association (Cisa), na tentativa de esclarecer que tipo de produto será fabricado pela CBSteel – se placas, voltadas à exportação, ou vergalhões, o que indicaria foco no mercado doméstico –, seu destino e se haverá incentivos. O instituto representa as principais siderúrgicas do País, como Usiminas, Gerdau, ArcelorMittal, CSN e CSA.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento e Indústria do Maranhão, Simplício Araújo, a ideia é produzir fio-máquina, que é destinado à fabricação de porcas e parafusos, por exemplo. Depois, a chinesa partiria para os vergalhões.

A CBSteel aposta no desenvolvimento da infraestrutura da região do Matopiba, nova fronteira agrícola do Brasil que abrange o sul do Maranhão e Piauí, centro-oeste da Bahia e o Tocantins. O governo prevê estender à siderúrgica os mesmos incentivos dados a outros projetos, como 95% de isenção de ICMS.

Em julho, o Aço Brasil encaminhou uma carta ao governador do Maranhão, Flávio Dino, relatando a preocupação com a transferência de capacidade de produção de aço da China para o Brasil. O documento cita uma reportagem em que o jornal chinês People’s Daily diz que o projeto não só diminuiria a forte pressão internacional pela redução do excesso de capacidade produtiva de aço na China, como poderia evitar a adoção de medidas de defesa comercial, antidumping e de direitos compensatórios contra o país.

A carta destaca que a indústria siderúrgica brasileira utiliza hoje apenas 60,8% de sua capacidade e, consequentemente, vem demitindo. De janeiro de 2014 a junho de 2016 foram desligados 41.247 funcionários diretos das usinas. Ante o cenário local negativo, o Aço Brasil afirma que “causa estranheza” que empresas chinesas queiram instalar uma planta no Brasil “por meio da transferência de unidades e equipamentos já existentes e em uso na China”.

Pressão

O apelo é para o governador avaliar “a real efetividade dos benefícios que serão gerados pelo projeto e contrapô-los aos riscos não só econômicos, mas também ambientais”. Recentemente, o assunto foi levado à presidência da República e ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

“O governo do Maranhão está negociando com cautela para evitar problemas de poluição e com a cadeia siderúrgica. A preocupação do setor é saudável, mas o Brasil precisa do empreendimento. É um projeto que não vai ficar de pé antes de seis ou oito anos”, diz Araújo.

O secretário afirma que o Maranhão tem uma demanda reprimida por investimentos, dado o histórico de projetos que acabaram não saindo do papel. É o caso da siderúrgica da também chinesa Baosteel e da Refinaria Premium da Petrobrás, cancelada após investimentos de R$ 2 bilhões. Segundo Araújo, o projeto tem apoio do governo Temer e a Fazenda analisa se algum incentivo federal é cabível.

A crise siderúrgica sem precedentes no País é fruto de uma combinação entre fatores internos e externos. No front doméstico, as companhias vêm sendo afetadas por problemas de setores consumidores de aço, como o automotivo e o de construção civil. Do lado externo, o cenário é marcado pelo excesso de 740 milhões de toneladas de aço no mundo e a pesada concorrência da China, acusada de vender aço a preços abaixo dos de mercado e de receber subsídios. Na semana passada, a China prometeu cortar de 100 milhões a 150 milhões de toneladas de produção em cinco anos. (Estadão)

Reforma do ensino médio

Conteúdo obrigatório básico deve ter metade da carga horária total. Apesar de já estar em vigor, MP precisa ser discutida e votada no Congresso em até 120 dias.

 

O governo federal apresentou nesta quinta-feira (22) a medida provisória (MP) sobre a reforma do ensino médio. As mudanças afetam conteúdo e formato das aulas, e também a elaboração dos vestibulares e do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A proposta terá de ser aprovada em até 120 dias pela Câmara e pelo Senado, caso contrário, perderá o efeito.

%d blogueiros gostam disto: